terça-feira, 15 de abril de 2014

Terceiro Seminário Pekiti Tirsia Kali Minas Gerais

Que a Associação Mineira de Kali é hoje [provavelmente o único] repositório ativo das autênticas Artes Marciais Filipinas neste território de montanhas alterosas, não resta a menor dúvida. Nos dias 05 e 06 de abril de 2014 a AMK realizou o Terceiro Seminário Mineiro de Pekiti Tirsia Kali, ministrado mais uma vez pelo Professor Karl Greiner, diretor do PTK-Brasil.

Na ocasião foi aferido o desenvolvimento do grupo mineiro e diversos aperfeiçoamentos implementados, visando a uniformidade curricular e o bom desempenho técnico dos estudantes.

Além dos refinamentos e ajustes, sempre tratados com máximo zelo e alto grau de exigência pelo Professor Karl, o evento serviu como etapa preparatória para o Pekiti Tirsia Training Camp, iniciativa pioneira, que terá lugar no mês de novembro deste ano, sob o comando da autoridade máxima do Sistema, o Grand Tuhon Leo Gaje.

O seminário foi, ainda, ocasião para recepção formal de um novo membro da Associação Mineira de Kali, que, além de tomar parte no treinamento regular, passa integrar o corpo diretor da entidade. Trata-se do Sr. Daniel Carvalho [“Jarrão”], artista marcial com sólida formação em Jiu-jitsu e Muay Thai, que também dirige a excelente comunidade Defesa Pessoal com Lâminas junto ao Facebook. Aproveitamos o momento para saudar o amigo Daniel, desejando-lhe uma caminhada plena de aperfeiçoamento e contribuição no âmbito de nossas amadas Artes Marciais Filipinas.

Para terminar, gostaríamos de deixar registrado nossos mais sinceros agradecimentos e um rasgado elogio ao amigo Karl Greiner. Mais que um excelente professor, o homem é um autêntico devoto do Pekiti Tirsia, que ele transmite com incansável dedicação, ética irrepreensível, extraordinário cuidado e com bom humor capaz de impor leveza ao mais árduo dia de treinamento. Sem dúvida, autoridade maior do Sistema em nosso país. Salve, Karl! Seus alunos mineiros o saudam!

Aos que desejarem conhecer e dar os primeiros passos no Kali fica a noticia: Em breve teremos mais, no Quarto Seminário Mineiro de Pekiti Tirsia Kali. Aguardem... 


  • Movimento consciente, fluente, adaptativo e preciso são da essência das Artes Marciais Filipinas...
















  • Na alma do Sistema Pekiti Tirsia Kali reside uma sofisticada tecnologia de uso de lâminas...















  • Usar lâminas, também pode significar termos apenas a arma do oponente "à nossa disposição..."




















  • De várias [não de todas] técnicas de lâminas nascem as de outras armas, como as de dulo-dulo [palm stick]...


















  • Pekiti Tirsia Kali também é das mãos vazias..., embora a "influência" das lâminas esteja em cada movimento.






















quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

As "desconhecidas" Artes Marciais Filipinas - V

KALI - TRABALHO COM AS MÃOS VAZIAS


As férias editoriais acabaram. Iniciamos nossas atividades no blog com este texto, escrito por um grande estudioso e, sem dúvida,  um dos mais destacados e ativos expoentes das Artes Marciais Filipinas no Brasil, o Professor  Tales de Azevedo (Arnis Maharlika), que agora nos honra com sua contribuição.

"Olá pessoal, hoje vamos continuar o nosso estudo sobre as artes marciais filipinas, e dessa vez vamos falar sobre mãos vazias, afinal não só de armas de vive uma arte marcial.

A grande maioria das escolas de arte marcial filipina inicia o seu treinamento com o bastão de rattan por um motivo bem simples: ele é uma ferramenta pedagógica que permite a aprendizagem e a assimilação de uma série de técnicas e conceitos que podem transpostas para outras ferramentas e objetos. Essa transposição não é literal nem total, mas serve de base para facilitar esse processo da passagem de conhecimento.

Jab, direto, cruzado, upper, low kick, side kick... Hoje o vocabulário dos praticantes de arte marcial é recheado com diversos nomes e técnicas de socos, chutes, pontapés e etc. Devido ao seu caráter plural, até mesmo pela formação dos diversos professores que temos no Brasil e no mundo, não é difícil encontrar a prática de conceitos de combate originados em outras marciais na pratica em academias. Isso não é ruim, mas é importante sabermos o que é natural da arte e o que foi adicionado.

Tão comum quanto o rattan, são os ataques. Algumas escolas possuem 8, outras 10, 12, 18... não importa a quantidade! Os ataques são bem populares, tanto quanto normalmente os ataques 1 e 2 são golpes diagonais da região superior direita para inferior esquerda ou superior esquerda para inferior direita. Um erro comum entre alguns desavisados é imaginar que o combate desarmado das artes marciais filipinas seja transpor literalmente todos os ângulos de ataque com bastão para as mãos vazias. O resultado quase sempre acaba sendo a aplicação de socos que se fossem feitos “pra valer” no mínimo quebrariam a mão de quem os estivesse aplicando (e levaria um pugilista que assistisse a gargalhar).

Como a maioria de vocês sabe, as Filipinas são um arquipélago de ilhas, governado até finais do século XIX pelos espanhóis. Após uma década de lutas, a independência se ergueu como o sol sobre as ilhas, até ser novamente ofuscada. Derrotada em sua guerra contra os EUA, a Espanha entregou o controle do arquipélago aos americanos como espólio de guerra. O governo interino até então presente nas Filipinas, não foi capaz de promover o trabalho diplomático de reconhecimento do país. Assim os filipinos sentiram no início século XX a mudança de colônia espanhola para protetorado americano.

Os americanos trouxeram consigo uma abordagem diferente dos espanhóis. Ginásios, instituições de lazer, escolas, bases militares e o YMCA – ou ACM, como nós conhecemos aqui no Brasil. Os americanos buscaram não apenas ocupar o território, mas se fazer presente entre o povo filipino. Uma possível mostra dessa diferença na abordagem pode ser encontrada no fato de que o espanhol hoje é esquecido nas filipinas (se resumindo a utilização de alguns nomes próprios) enquanto o inglês é quase que uma língua comum.

Você já ouviu falar de Emmanuel Dapidran Pacquiao, ou de Manny Pacquiao? Com certeza que sim! O “Pac-Man” ganhou 55 das 62 lutas profissionais de boxe que disputou até novembro do ano passado. Quando ele lutava as Filipinas paravam para assistir, pois de todas as inovações que os americanos trouxeram, o boxe foi uma das mais populares.

Inicialmente o boxe era restrito aos quarteis das forças armadas americanas. Não demorou para que campeonatos internos surgissem, permitindo acesso dos locais que assistiam, e gostavam!  Surgiram os lutadores favoritos, as premiações e as apostas! Serviço Militar + Apostas é uma combinação explosiva. O governo local passou a regulamentar locais fora dos  quarteis para a realização lutas de boxe, o que permitiu o ingresso de locais na prática e que serviu de argumento para a reabertura dos “fencing clubs” dedicados à prática marcial tradicional, que hoje conhecemos como FMA.

Boxe é um esporte de contato, mas seus princípios e métodos serviram de base teórica o panantukan, sikaran, suntukan, pangamut entre outros nomes, utilizados para designar modalidades específicas do combate desarmado, i.e. utilização de socos, chutes, projeções, etc.

É isso pessoal! Espero que essa breve apresentação tenha sido interessante. Quaisquer dúvidas fiquem a vontade para comentar aqui na postagem. Um abraço, até a próxima e mabuhay!"




sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Comemorar realizações... Nada melhor!


Eis que o ano termina em pizza, na melhor e mais literal expressão.

No próximo dia 18 de dezembro, às 19:00 horas teremos uma confraternização de encerramento das atividades de 2013. Convidamos a todos os amigos que treinam e que já treinaram conosco, aos instrutores que nos enriqueceram com seu conhecimento, e aos amigos que de todas as formas apoiam nossa iniciativa. Venham comemorar conosco! Será na tradicional Pizzaria Fazendinha – Avenida Isabel Bueno 1082 , Jaraguá, BH.

Aproveitamos o ensejo para fazer um rápido balanço de nossas atividades, neste período marcado por muitas lutas e êxitos, galgados com muito empenho, determinação e, porque não dizer, com uma boa cota de sacrifício pessoal por parte de cada membro do grupo.

A AMK ainda não completou um ano de existência e já tem mostrado a que veio, provando seu compromisso com a difusão e o desenvolvimento das Artes Marciais Filipinas em Minas Gerais. Colaborando, no mesmo sentido, com os amigos e companheiros que pelo Brasil afora comungam desse belo ideal.

Os primeiros passos, neste ano de 2013, foram firmes e bem direcionados. Os eventos dos quais participamos, bem como os que promovemos, provam um bom começo. E quem começa bem dificilmente perde o caminho...

Em abril estivemos presentes nas comemorações do Dia Municipal das Artes Marciais, quando demonstramos o Kali na Câmara Municipal de BH. No mesmo mês tivemos a alegria de participar do Segundo Seminário Pekiti Tirsia International, organizado pelos Professores Leandro Bazaglia e Ricardo Tavares, evento que nos trouxe uma nova perspectiva com relação às Artes Marciais Filipinas, sob a visão pragmática, desmistificadora e objetiva do Tuhon Bill McGrath. Nos meses seguintes, entremeando nossa rotina de treinos, promovemos um seminário de técnicas de combate com Karambit, outro de técnicas de Dulo-dulo e um de Silat Cidepok, estes três eventos ministrados pelo Professor Davide Lupidi, enciclopédia viva de artes marciais e um amigo pelo qual temos especial carinho, cuja generosidade e sinceridade tem sido exemplo para nós neste caminho de guerreiro. Não bastante, realizamos dois seminários de Pekiti Tirsia Kali, capitaneados pelo Professor Karl Greiner. Figura alegre e jovial, homem de grande conhecimento, que nos apresentou o Pekiti “de raiz”, e cuja trajetória pessoal no Kali inspira a perseverança na perseguição de um ideal. Karl, junto à AMK fundou o grupo Pekiti Tirsia MG e, no mês de outubro, nos agraciou com o privilégio de participarmos do Pekiti Tirsia Brazil Grand Seminar, orquestrado pelo lendário Grand Tuhon Leo Gaje. Para fechar as atividades do ano, a convite da UNIVERSO – Universidade Salgado de Oliveira promovemos uma apresentação, junto ao Departamento de Artes Marciais do curso de Educação Física.

Menção mais que especial merece o Professor Tales Azevedo, a quem muito agradecemos pelo apoio, por meio do principal veículo brasileiro de divulgação das FMA no Brasil, o fantástico site Arte Filipina.

O ano de 2013 deixará boas lembranças, pelo êxito nas empreitadas, e marcas indeléveis de muito aprendizado, muito esforço e, porque não dizer, de útil sofrimento, afinal, o que não faltou foram obstáculos a contornar, “pedreiras” para quebrar, uns poucos conflitos e algumas decepções. Coisas estas que não surpreendem, nem fazem esmorecer os que tem o verdadeiro Espírito Guerreiro.

Para o próximo ano estamos preparando uma programação ainda melhor, entre eventos e treinamento, que representarão significativo avanço para todos os estudantes vinculados à AMK.

Agradecemos a todos que estiveram conosco neste ano. Desejamos a cada um, e respectivas famílias, toda sorte de bênçãos para o próximo ano e para toda a vida, certos de que tudo o que tiver sido bom em 2013 será ainda melhor em 2014.

Feliz Natal!

Feliz ano novo!

Mabuhay!

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Kali na UNIVERSO


No dia 21 de novembro de 2013, a convite do Departamento de Artes Marciais do Curso de Educação Física da UNIVERSO, tivemos a alegria de apresentar o Kali aos professores e alunos. A demonstração foi conduzida pelo Professor Moysés Perillo, presidente da AMK, que abordou aspectos históricos e fundamentos técnicos, com especial destaque para a aplicabilidade da arte no campo prático.

Embora presentes no Brasil há algumas decadas, as Artes Marciais Filipinas ainda são pouco conhecidas, motivo pelo qual a AMK, no incessante esforço para promovê-las e incentivar sua prática, considera inestimáveis as oportunidades de apresentar o Kali ao público em geral e, em especial, ao público acadêmico, cujo compromisso com o conhecimento e sua difusão junto à sociedade eleva e agrega valor real aos frutos do engenho humano. 

Agradecemos empenhadamente aos professores e alunos da Universidade Salgado de Oliveira por esse primeiro encontro. Esperamos que tenha sido proveitoso para todos. A Associação Mineira de Kali está à vossa disposição.

Obrigado.

Mabuhay!